Um padre exemplar, uma pessoa de Deus

Conheci Pe Mário desde o primeiro ano de seminário e sempre o considerei um padre exemplar e muito simples. Lembro-me que o primeiro ato dele como provincial, ou um dos primeiros, foi aprovar o nosso postulantado, em agosto de 1958. Foi ele que celebrou o nosso noviciado em Casa Branca.

Depois, como padre, sempre vi nele uma pessoa de Deus, um homem de oração, de firmeza na fé e perseverante no seu ministério.

Posso dizer que no seu trabalho com os casais era querido por todos, pois quando era ele que vinha na paróquia, isso eu vi tanto em Itararé, como em Ituverava, a vontade dos casais em fazer o curso, como daqueles que haviam feito, em trabalhar para ouvir o Pe Mário.

Com sua partida para a casa do Pai, não só os casais perderam um dirigente, mas também a Congregação um de seus sábios, principalmente da vida do Fundador.

Pe Mário, era uma pessoa simples, tanto nos momentos sérios como nos momentos de recreação. Gostava de pescaria e me lembro que falávamos que Pe Mário pescava em qualquer poça d’água que encontrava. Que ele interceda por nós.

Pe. José Antônio Mainardi, CSS

Deixe uma resposta